Papel na privada: como ser ecológico na base da preguiça

*originalmente publicado no fanzine BoCABerta #30*

Ser ecológico e ter consciência ambiental é um saco. Dá trabalho, é cheio de ‘senãos’ e ainda por cima cansa. Ou vai me dizer que você nunca errou o lugar de colocar o lixo reciclavel, ou ficou com preguiça de lavar aquele pote melequento de margarina antes de colocar junto com os materiais recicláveis? Mas o que os ecochatos nunca contam é que dá pra ser ecológico e preguiçoso ao mesmo tempo.

Há pouco tempo lançaram a campanha ‘xixi no banho’. Junto com as outras 500 campanhas que acho desnecessárias por completo – como por exemplo a do black pixel, que é sem comentários né? -, essa campanha convocava as pessoas a fazerem xixi durante o banho ao invés de fazer xixi primeiro e depois ir tomar banho. O argumento é que você economiza uma descarga. Na boa, eu faço xixi no banho e não é porque é ecológico, é porque eu sou uma grande preguiçosa e já que vou tomar banho, vai ali mesmo. Mas se você tiver nojinho ou não gostou da idéia de trocar a sua privada pelo chuveiro, nem ligue: não vai ser um xixi que vai salvar a água pra todo o planeta.

Mas existe uma técnica muito prática – e pra lá de preguiçosa – de ajudar a gerar menos lixo por aí: jogar o papel higiênico na privada. E se você pensou ‘ah, mas entope’, pode parar agora! Não entope. Pelo menos não se você seguir algumas instruções básicas.

Jogar papel no vaso sanitário, além de ecológico, desperta em você aquela sensação gostosa de contravenção. No exato momento em que você for jogar seu primeiro bolinho de papel na privada, vai se lembrar da sua mãe dizendo “não joga papel na privada, menino!” e vai ficar ainda mais contente de poder não obedecer. A grande sacada é que a sua mãe não sabia de uma parte do processo, além do receio de entupir a privada.

Quando a gente joga o papel higiênico no lixinho, além de ficar coletando coisas fedidas num potinho, vamos descartar tudo isso dentro de um … saquinho plástico. Do mesmo estilo daqueles de supermercado, que os ecochatos fazem questão de miguelar e de fazer você se sentir culpado por usar as sacolinhas plásticas ao invés de carregar 15kg de compras numa sacola de pano, que eventualmente vai apoiada no ombro e DESTRÓI as suas costas. Quando esse saquinho é colocado pro lixeiro levar, o próximo passo é o aterro sanitário. Aqui que vêm as informações importantes: o papel leva ali uns 4 meses pra se decompor; já o saquinho plástico, que é usado para embalar as coisas nojentas que saem do nosso banheiro, leva cerca de 40 anos. Ou seja, ao não jogar o papel na privada você vai fazer a mágica de manter um papel sem se decompor por 40 anos. Maravilha, hein?

E o esquema ecológico na base da preguiça não podia ser melhor! Depois de fazer suas necessidades básicas, basta atirar o bolinho de papel bem no meio da privada. Com isso, o papel vai molhar e começar a se dissolver. Quando você der descarga, a força da água vai acabar de desmanchar o bolinho e ele vai descer cano abaixo até o esgoto. Chegando na estação de tratamento, essa água fétida vai passar por uma grande peneira, e é aí que seu papel higiênico é retido, junto com outros resíduos sólidos (precisa nomear?). Esses resíduos são enviados diretamente para o aterro, SEM EMBALAGEM. Ou seja, 4 meses depois você pode se sentir completamente despreocupado, você não tá guardando saquinho fedido pra posteridade.

“Ah, mas vai entupir!”

Não, não vai. Mas também não me vá querer jogar aquele papel higiênico de quinta qualidade na privada. Aquele papel rosa, que parece uma lixa, não vai dissolver nem com reza braba e aí você vai arranjar um problemão. Haja Diabo Verde. Pra poder ser preguiçoso e ainda parecer preocupado com o meio ambiente, basta prestar atenção nesses dois itens:

Seu papel higiênico não pode ser de 5a categoria: precisa ser branco, fino, macio, de preferência de folha dupla. Aquele papel rosa ou os papéis usados em banheiros públicos não costumam ser “ecologicamente adaptados” pra nossa preguiça; nesses casos, use o lixinho.

CONFIRA se existe tratamento de esgoto na cidade em que você está sendo eco-preguiçoso. Se não houver tratamento de esgoto, seu papel vai pros rios, o que não é nada bom.
Da próxima vez que for ao banheiro, experimente ser preguiçoso; se alguém perguntar, diga apenas que você está sendo ecologicamente correto.

Anúncios

2 opiniões sobre “Papel na privada: como ser ecológico na base da preguiça

  1. Pingback: Tweets that mention Papel na privada: como ser ecológico na base da preguiça « Pensamenteando -- Topsy.com

Os comentários estão desativados.