Campus Party 2009: primeiras impressões e a apresentação de Tim Berners-Lee

Menos de um ano depois da primeira edição brasileira, a Campus Party volta ao Brasil. Na edição de 2009, entretanto, muita coisa muda.

A primeira delas é o local: troca-se a instalação da Bienal do Ibirapuera pelo galpãozáço do Centro de Convenções Imigrantes. 3210542698_c722dafc95Enorme! Seria ótimo se não tivesse uma acústica tão ruim. Para piorar ainda um tantinho, as telhas fazem um barulho maior ainda quando chove – e a previsão do tempo não é nada animadora. Uma barulheira que chega ao cúmulo de, estando no local, ser melhor ouvir o streaming do que ficar do lado da palestra. A não ser que se fique bem do lado da equipe do éoqhá, onde se tem um dos únicos pontos privilegiados com um bom som. Ou seja, economia na base da porcaria não foi uma boa idéia.Além disso, a refrigeração ficou por conta de ventiladores espalhados pelo pavilhão, que não amenizaram o calor do primeiro dia, e depois ficou por conta do clima frio em São Paulo, que agora congela os participantes. Perceptivelmente o Centro de Exposições precisava de mais alguns ajustes.

Afora isso, o evento tem sido interessante.

3212883511_a0b4ac32d5Tim Berners-Lee inaugurou a área da Telefonica às 13h, com uma apresentação sobre o futuro da web (ou, para continuar com a numeração, web 3.0).  O inventor do HTML apresentou o conceito de internet desde seus princípios, e frisou: a grande graça é a internet ser universal e independente de hardware (tanto a galera do Mac quanto do PC conseguem acessar o mesmo conteúdo). Berners-Lee não se apresentou como alguém que construiu ou inventou algo, mas sim como alguém que ainda está construindo e desenvolvendo tecnologia, instigando quem assistia sua apresentação a também fazer algo. Ele convidou os ouvintes a testarem diversos novos projetos, entre eles o Tabulador e o FOAF (Friend Of A Friend), mostrando que o próximo passo da internet é se descentralizar, e muito!  Em determinado momento, quando finalizava sua apresentação, Berners-Lee, um dos 100 gênios vivos do mundo, disse que para os geeks, que estão presentes no momento, é fácil instigar o crescimento de tecnologias; e ainda fez questão de frisar que chamar-nos de geek era definitivamente um elogio.

Ao final de sua apresentação, ele ainda respondeu perguntas sobre internet mobile, dizendo que a w3c está com um núcleo de desenvolvimento nesse ramo, sobre web 2.0 e sobre o controle empresarial sobre a internet, e alertou: o interesse por controle existe, mas cada um de nós pode intervir, fazendo alguma coisa. Se determinado navegador age contra as diretrizes que você acha relevantes, deixe de usá-lo. As suas escolhas fazem a diferença.3213461020_8b951aeeb9

E aqui a madrugada é ativa. Teve apresentação (repetida) do Teatro Mágico, concurso de fantasias (#fail, porque os caras começaram a distribuir prêmios para quem dançava melhor), DJ concorrendo com Guitar Hero, vodka e uísque rolando solto e um maluco beleza recitando poemas em inglês logo atrás da minha bancada. Nesse lugar, tem de tudo. De tudo mesmo.

E esse é só o primeiro dia.

*Desisti de tirar fotos. Muita gente faz isso muito melhor do que eu.
As desse post vieram do Flickr da Campus Party Brasil

Anúncios