Produzir e distribuir conteúdo: uma opção que expande conceitos

É quase imperceptível, mas nós consumimos conteúdo compulsivamente.

Quando se fala assim, como se o conteúdo fosse uma caixa de biscoitos ou um copo de suco, parece estranho, mas é verdade: estamos rodeados de informações, e é esperado que consigamos reter ao menos algumas delas para nos mantermos minimamente atualizados. Acontece que apenas consumir conteúdo faz com que sejamos apenas espectadores. A informação é despejada, você absorve, absorve, absorve, até um ponto de saturação. Nesse momento restam duas opções: descartar tudo que não for relevante ou explodir. Adivinha só o que costumamos escolher?

Mas existe uma segunda opção. Existe a possibilidade de filtrar o que queremos verdadeiramente absorver, e então destilar e compor um conhecimento condensado. Esse sumo do conhecimento pode ser compartilhado.

Existe tanta coisa boa sendo produzida em universidades, em empresas, em grupos de amigos… Tantas pesquisas sendo desenvolvidas, compiladas, testadas, que parece muitas vezes um desperdício, ou um lapso, ou um gargalo não compartilhar esse conhecimento.

Percebi isso numa disciplina que cursei semestre passado, onde fiz um projeto que utilizava o Twitter. Durante a experimentação houve interferências externas, já esperadas, e isso foi extremamente enriquecedor para o projeto. Esse fato fez com que a turma toda refletisse sobre o porquê de fecharmos o conhecimento que produzíamos dentro das 4 paredes da sala de aula. O interessante seria compartilharmos esse conteúdo com uma comunidade que tivesse os mesmos interesses.

Seria extremamente proveitoso se todos pudéssemos contribuir dentro de uma comunidade com uma parcela de conhecimento. Não importa o meio: blog, fórum, comunidades… O importante é compartilhar o que se sabe, possibilitando um conhecimento mais amplo e específico.

Por isso, vale a pena reiterar a pergunta de Manoel Netto: e você, compartilha conhecimento?

Anúncios

5 opiniões sobre “Produzir e distribuir conteúdo: uma opção que expande conceitos

  1. Pingback: Adoção por casais homossexuais já tem precedentes no Brasil « Pensamenteando

  2. Pingback: Pesquisando os hábitos de leitura de hoje « Pensamenteando

  3. Pingback: Como guardar as suas boas idéias « Ambidestria

  4. Primeiro, parabéns pelo texto.
    Eu vejo a questão da aquisição do conhecimento por uma experiência que fiz comigo. Sempre tive o hábito de ler muito, sobre assuntos diversos, normalmente o que me chama mais a atenção no momento. Com isso, acabei por adquirir, não um conhecimento vasto sobre muita coisa, mas sim um um bom conhecimento sobre assuntos que me interessavam, mas o problema é que, na minha avidez por querer adquirir mais e mais informações, eu não as compartilhava, e sempre tinha a sensação de um vazio interior. Desde o ano passado, comecei a lecionar voluntariamente numa ONG existente no meu município, para crianças carentes. Já ministrei cursos de origami, desenho, reciclagem, reforço escolar, e isso me tem feito muito bem, é algo arraigado na minha vida atual, e com isso consegui, não só não explodir, como dar vazão a todo o conhecimento que adquiri durante anos, como senti que preenchi o vazio que existia anteriormente.
    Acredito que todos possam contribuir com a expansão do conhecimento. Basta, para isso, tentar ensinar o que sabe para alguém. É um trabalho formiguinha, onde cada um faz o que pode, e quando se dá conta, todos estão sendo beneficiados.

  5. Alessandro,
    Realmente eu acho isso bastante importante.
    Não significa que vai ser fácil, mas acho que dá pra fazer desde um comentário sobre algum assunto dentro de uma comunidade até fazer trabalhos voluntários.
    O importante é entender que conhecimento confinado não vale de nada.
    Ele vale mesmo é quando aprendemos a contribuir para a melhora de algo, em alguém, na sociedade ou na própria casa.

    Parabéns pela sua iniciativa.
    Acredito que o seu conhecimento transmitido vai valer muito mais do que todas as minhas palavras.

Os comentários estão desativados.