O tema de seu blog

Durante a Campus Party, em fevereiro desse ano, muita gente que eu conheci me perguntava: “Ah, e qual é o tema do seu blog?”. Eu, que nunca tinha pensado no assunto, fiquei atônita. Não tinha idéia de qual era o assunto que deveria ter escolhido para tratar no Pensamenteando. Na maioria das vezes eu ressaltei os últimos temas dos meus posts mais recentes, literatura e tecnologia. Mas esse não é o “tema”…

Mais tarde, pensando melhor, percebi que na verdade o título do blog já diz tudo. O Pensamenteando é o retrato dos meus pensamentos. E meus pensamentos não podem, nem devem e não são monotemáticos.

Pensar é interconectar temas que podem (ou não) ser desconexos. É externar o que se passa na cabeça quando nos colocamos a martelar e fermentar idéias. Meu blog é sobre pensamentos, e eles não conseguem se limitar a um só tema. A escolha por publicar alguns deles no blog não é organizá-los, mas sim manter um registro para que eles possam fermentar cada vez mais e crescer, de acordo com que discuto e argumento sobre eles.

O que, definitivamente, não significa que eu ache errado que blogs tenham temas definidos. É uma questão de organização mental, talvez. E também de muito conteúdo acumulado. Isso porque conseguir falar por muito tempo sobre um tema específico exige um acúmulo de informações específicas muito grande. E ainda assim, a meu ver, a maioria das pessoas que mantém blogs tematicamente centrados costumam também manter mais de um blog. Às vezes essas pessoas têm tanto a dizer sobre assuntos diferentes que organizá-los exige mais de um lugar de publicação. Exemplos? Carlos Merigo, do Brainstorm#9. Merigo não permite que o B#9 fique desatualizado, afinal ele possui uma enorme bagagem na área de publicidade e tem muito o que falar. Mas o que talvez poucos saibam é que Merigo também publica no SmellyCat, co-autoria com Baunilha, que trata sobre animação. Há mais coisas fluindo nos neurônios de Merigo além da publicidade e propaganda.

Assim também funciona com Alessandro Martins. Em alessandromartins.com, ele escreve sobre “Livros e afins” – arte e tecnologia inclusos. E no “Quero ter um blog“, Martins dá dicas de criação e manutenção de blogs. Ou seja, muita coisa passa por essas cabeças criativas. A opção de dividir as “criações” em temas força-os a manterem mais de uma publicação online.

Assim sendo, não existe problema nenhum em organizar ou não seus pensamentos e idéias. A questão é sentir-se confortável com a forma de expressão, e principalmente saber fazer-se entender. Se você precisa de apenas um blog ou de dez deles pra exprimir coerentemente suas idéias, isso não importa. O interessante é que elas consigam fazer sentido.

O meu blog é sobre pensamentos. E o seu?

|Conheça os blogs do Merigo: SmellyCat, Save Game, Brainstorm#9 e Vamos subir Timão!
|Conheça as produções de Alessandro Martins: Livros e Afins, Quero ter um Blog, Cracatoa e Um investidor iniciante na Bolsa de Valores

Anúncios

6 opiniões sobre “O tema de seu blog

  1. Torço para que você nunca se especialize demais em um único tema!
    Mas no fundo sua área de interesse é a zona (nos dois sentidos) de conflito entre o mundo análogo e o digital.
    Certo?

  2. Interessante essa questão, Jacque. Há um tempo eu queria criar um blog pra divulgar minhas tentativas de criação literária. Tinhao tema, mas não conseguia um mote para começar. Colocar meu nome simplesmente não dava, muito comum. E achar um título tão geral quanto às idéias que viriam a aparecer ia ser complicado. Pensei em termos gregos da Literatura Clássica, mas ia ficar aquela coisa pretenciosa e forçada. Esperei (não sentado, nem de braços cruzados) a vida me trazer uma inspiração: quebrei o pé. Quer situação de maior reflexão do que ficar prostrado numa cama o dia inteiro? Então esse é mote do meu blog, um osso quebrado, mas o tema são as reflexões que surgirem nesse momento da minha vida. Como os parafusos vão ficar comigo pra sempre, tenho uma desculpa pra continuar com o blog depois que eu melhorar – e de forma alguma espero ficar restrito ao tema do osso quebrado.
    Beijo!

  3. É, eu perguntei isso também na ocasião. E lendo seu blog tinha chegado a essa cnclusão também. Mas você foi perfeita ao descrever com tanta precisão sobre o seu tema.
    Parabéns pelo blog.

  4. Alessandro,
    É um prazer e uma honra pra mim poder citar tantos bons trabalhos seus!

    Werny,
    É muito difícil se especializar no pensamento, né?
    Mas realmente, minha vida entre livros e internet faz com que eu sempre pense um pouco mais sobre até onde isso vai chegar.

    Bruno,
    Às vezes a gente precisa MUITO daquele 1% de inspiração! Talvez tenha sido exatamente isso que seus pinos no pé trouxeram pra você: alguns momentos onde não tinha como existir correria, já que os pés não permitiam mais.
    Sorte sua que você quebrou o pé: se você tivesse colocado pinos no úmero talvez não fosse tão proveitoso quanto partir a fíbula! =)
    Parabéns pelo blog e sucesso!

  5. Eli,
    Acho que até mesmo na ocasião da Campus Party eu devo ter tentado definir o Pensamenteando de forma mais clara, mas achei que tinha sido falha em alguns pontos, por isso resolvi fazer esse post.
    Fico feliz que você tenha gostado da definição, afinal.

Os comentários estão desativados.