Como não ‘perder’ as idéias

Via Hermenautas

Sempre acontece assim: você tem aquela idéia incrível, incomparável e impagável. É tudo de bom. Você vai conquistar a América do Norte, a Oceania e outro continente a sua escolha com ela. Mas duas horas depois, ao tentar comunicar o mundo sobre a sua ótima idéia… você esquece dela. É claro que ela era fantástica, mas só dá pra lembrar disso.
Decepção.

Mas a coluna Tempos Modernos está aqui pra te ajudar. Com dicas do Alessandro Martins , juntamos meios úteis e variados pra não deixar que as suas sensacionais idéias fujam de você!

  1. Tenha sempre a mão um bloquinho de anotações e uma caneta
    Parece besteira, mas as grandes idéias aparecem nos momentos mais inesperados. Escrevê-las, ou algo que remeta a elas, é um modo de não esquecer-se depois. Existem os famosos Moleskines, cadernos de anotações com diferentes tipos de folhas (pautadas, lisas, quadriculadas), mas esses costumam ser caros e raramente encontrados no Brasil. Uma saída são os tradicionais cadernos de anotação em espiral ou então alguma invencionisse feita na “xerox” mais próxima:

    DSC00157

  2. Não tema guardar sites nos seus favoritos
    Porque quando você quiser fazer referência a algum deles, ou escrever algo sobre, basta procurar nos seus favoritos. O del.icio.us é um ótimo serviço para isso. Ele permite que você categorize os seus favoritos e até mesmo coloque algumas linhas sobre o site em questão. Se você não gostar do del.icio.us, existem serviços similares, como o blinklist, Windows Live favorites, MyWeb (Yahoo), Furl ou o nacional Favorit0br.
  3. Use o velho e útil Bloco de Notas (Notepad)
    Quando estiver utilizando o Windows, aperte a tecla ‘windows’ (aquela que tem a bandeirinha do windows) + R e digite: notepad
    Mais rápido que isso, impossível. Vá lá e digite a sua idéia, elabore, deixe uma palavra-chave, como desejar. Guarde todos os seus arquivos do Bloco de Notas (.txt) em uma pastinha específica, e as suas idéias estarão sempre documentadas e a um click de você.
  4. Mande emails para você mesmo
    Principalmente no Gmail existe a possibilidade de categorizar os emails com as chamadas “labels”. Então, basta mandar um email para você mesmo, e classificá-lo em alguma label. Ou, nos serviços de emails mais tradicionais, agrupar todos os emails que você mandou pra si mesmo em uma única pasta.
  5. Rascunhos de blog
    Em sistemas de blogs como o WordPress, há a possibilidade de rascunhar. Vai lá, digite um título e algumas coisas e mande salvar apenas, sem publicar. Os rascunhos vão ficar lá, até que você decida elaborá-los e publicar.
  6. Use o Google Docs
    Funciona como o Word do seu computador, com a vantagem de poder acessar a partir de qualquer computador conectado a internet. Além disso, você também pode compartilhar os arquivos com quem achar melhor. Uma ótima pra receber pitacos e correções.
  7. Utilize as ferramentas que criam para facilitar a sua vida WEB
    Existe uma variedade inacreditável de pequenas ferramentas web-based que nos auxiliam em memorizar listas de tarefas e, por que não dizer, de idéias. Algumas ferramentas que eu conheço são o Remember the Milk (agora com versão em português) e o Ta-da List .
    Pra quem está sempre conectado e/ou trabalha diariamente com computadores, pode ajudar bastante.

Com todas essas dicas, agora é só colocá-las em prática e não se esquecer que idéias tem mania de fugir! Então, tente não deixá-las escapar!

Anúncios

6 opiniões sobre “Como não ‘perder’ as idéias

  1. E enquanto meu orçamento não permite Moleskines, eu me viro com uma agendinha descartável muito simpática, ideal para ter sempre no bolso e anotar nome de livros, idéias e compromissos: o PocketMod: http://www.pocketmod.com/
    É só imprimir e dobrar uma folha A4.

  2. Olá Jacqueline Lafloufa!

    Gostei muito de seu texto, são dicas preciosas para todos que são verdadeiras usinas de idéias.
    Pensei ser o único a mandar e-mail para meu próprio endereço.

    obs: sou amigo de longa data do Adriano Lacerda e boa sorte aos Hermenautas.

  3. Eu vou enchendo caderninhos de anotações — não moleskines, mas os normais de espiral. Perto do fim, já estão todos com páginas se rasgando, a espiral torta — e, se for de plástico, pela metade.

    o problema é que dá preguiça ficar procurando o que anotei meses atrás…

    ainda assim, é melhor do que ‘perder’ as idéias!

  4. Bem legais as dicas… ainda terei um moleskine, certeza.

    Uma outra dica (talvez clichê) são os post-its… nada mais prático, rápido e visível do que um bom e velho post-it amarelo grudado em algum lugar :)

    Beijos

Os comentários estão desativados.