Ano de eleições e o “oba-oba”

Eleições, escândalos de corrupção, ataque do PCC, copa: este ano está cheio. Grandes emoções com a copa, muita tensão com os ataques do PCC, vergonha ao ver os mensaleiros sem punição. E em outubro lá vamos nós escolher presidente, governador…

A eleição é a mais importante atividade prevista para 2006, sendo o símbolo da democracia instaurada em nosso país, o que não faz muito tempo. A palavra democracia tem origem no grego “demos”, povo, e “cracia”, governo. Ou seja, o governo do povo. E a população exerce seu direito de governo ao escolher um candidato que melhor represente seus anseios, por meio do voto.

Entretanto, fatores externos podem influir positiva ou negativamente na decisão do voto de cada um, de tal forma que nunca pode-se saber qual será o resultado. De qualquer forma, é preciso que se seja consciente o suficiente para separar o “oba-oba” de uma possível vitória do Brasil a copa do mundo da Alemanha , a “lama no ventilador” da falta de segurança em SP e a impunidade dos políticos corruptos para que se possa escolher melhores governantes para o nosso país.

Se o Brasil se tornar ‘Hexa’, que bom! Mas isso não significa que a política, a economia e a sociedade também serão “seis estrelas”; nos planos de governo dos candidatos devem haver reformas de base (educação, saúde), além de medidas paleativas para evitar a violência; e aos políticos corruptos, não punidos pela lenta e fraca justiça brasileira, reservemos a justiça do eleitor, não concedendo a eles nossos votos, impedindo, dessa forma, que retornem ao governo.

Assim poderemos ter esperanças de que no próximo ano nossas escolhas nas eleições possam nos proporcionar uma melhor qualidade de vida e mais desenvolvimento, sendo a seleção brasileira ainda penta ou já hexa, mas sendo um Brasil top de linha, 5 estrelas!

Anúncios

2 opiniões sobre “Ano de eleições e o “oba-oba”

  1. Não nego isso pra ninguém, até mesmo para o mais anti-lulista do mundo. Votei nele por acreditar que com ele algo poderia pelo menos mudar. Votaria de novo, se não visse tudo oque ele faz. Viaja mais que as seleçãos em época de Copa. Parece que agora ele quer ganhar o Mundo. Ainda acredito que possa eleger alguém capaz de provocar as mudanças que todos queremos. Não fosse assim, não votaria nunca mais.

  2. Eu estou confiante no povo brasileiro, hoje 70% dos eleitores são jovens entre 16 a 30 anos. Com nova mentalidade, uma geração mais conciente do que realmente querem para o nosso país. É ano de eleições municipais, vamos eleger prefeitos e vereadores, então nossa responsabilidade se torna ainda maiores, porque iremos conviver com eles em nossa cidade, portanto que os jovens eleitores, façam do voto, o instrumento para punir e afastar os maus políticos. Vamos estar atentos!

Os comentários estão desativados.