Código Da Vinci

Cod Da Vincithree-stars.gif
(The Da Vinci Code)
Eu não li o livro, é verdade. Mas queria saber o que estava rolando sobre a obra de Dan Brown homônima na qual foi baseada o filme.

A crítica riu em Cannes, e não acho que fosse por menos: algumas passagens do filme são dignas de Magaiver. Mas, para quem não leu o livro, acompanhar as pistas pode ser mais interessante do que para quem já leu o best-seller.

Por mim, o filme poderia ter dois bons finais, mas acaba de um jeito muito sem sentido, o que me deixou um pouco decepcionada com a produção. No podcast “Em Cartaz”, do UOLNews, Sérgio Rizzo e Lilian Witte Fibe discutem a superficialidade e simplificidade com que a obra foi tratada no filme. Rizzo chega a exemplificar com uma cena onde uma pesquisa no celular de um passageiro de ônibus (ao invés de uma pesquisa em uma biblioteca) resolve qual seria o próximo destino.

No entanto, achei o filme interessante, sem deixar de resaltar, contudo, que poderia ter sido bem melhor.

Anúncios

Uma opinião sobre “Código Da Vinci

  1. Jacqueline, tenho que discordar de você, talvez você seja católica, heheheh, brincadeira viu?

    Achei o filme espetacular, e nenhuma crítica. Foi um filme que eu fiz questão de ver para não precisar ler o livro (Não que eu não goste de ler viu? Mas sobre religião e afins eu dispenso). :-)

    Abraços

Os comentários estão desativados.